Estado de graça

Acabei agora mesmo de estar 15 minutos a meditar. E sento-me aqui ao computador de coração cheio de paz. É verdadeiramente incrível o que a meditação faz por mim. Nem sei bem como partilhar isso por palavras.

Este fim-de-semana fiz uma sessão de Mindfulness (obrigada querida Célia) e embora fosse um assunto do qual já li e pratiquei bastante, fui arrebatada com o que senti nesta sessão conduzida. (Obrigada também à Mafalda. Incrível)

Uma coisa tão básica e que pratico no Yoga deu-me sentimentos maravilhosos e novos. Uma simples (?) meditação sobre o nosso corpo.

Sou bem capaz de estar a explicar isto de forma leviana mas, imaginem um relaxamento deitados no chão de olhos fechados e uma voz que conduz a nossa atenção ao longo do corpo. Ao detalhe. As unhas dos pés, a pele do joelho, a forma perfeita como os orgãos funcionam…

Dei por mim a sentir um amor gigante pelo meu corpo. Não o corpo que eu vejo ao espelho todos os dias mas o corpo onde vivo, ao detalhe. Amei cada milímetro dele de uma forma que nunca antes tinha experimentado.

E quando a Mafalda falou da forma harmoniosa como os nossos orgãos funcionam dentro de nós, tive vontade de sorrir ao imaginar tudo a acontecer como um relógio suiço. Perfeito.

Foi um sentimento de tal forma para mim que só me apetece partilhar e levar a minha gente a experimentar. Por isso não estranhem se eu começar a oferecer sessões de Mindfulness a todos vocês.

Isto tudo para dizer o quê?

Que este fim-de-semana dei por mim num estado de graça absoluto. Não só pela sessão de Mindfulness mas antes quando dei a minha aula de yoga, e depois quando tomei o pequeno almoço e estive à conversa com a minha mãe, e também quando encontrei por acaso o JP na rua e fomos tomar um café e mais tarde quando fomos ver a exposição do Tópê e lá encontrei tanta gente de quem gosto.

Em estado de graça por estar sentada à mesa a jantar e à conversa com o puto. E quando fui mostrar o espaço de Yoga ao meu gajo e tudo e tudo. Até pelos passeios de autocarro que fiz até aos Olivais.

Eu sei que isto é estranho ou não é habitual – não era habitual em mim certamente – mas trata-se de olhar à volta, estar presente e amar cada segundo do dia. E nas coisas mais básicas ver uma perfeição e sentir contentamento.

Eu própria estranho isto em mim mas não posso deixar de sentir que é incrível.

Atrevo-me a dizer que tenho um pouco de Mindfulness já entranhado em mim. E posso dizer-vos que a vida muda. E tudo é maravilhoso.


Se ficaram interessados em experimentar eu recomendo vivamente as sessões da Mafalda no Dhara Yoga & Mind Center.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s